segunda-feira, 14 de abril de 2008

Tomando posse

Como é bom desatar uns nós de vez em quando. Logo cedo consegui ser atendido por uma fonoaudióloga, que fez a audiometria que o médico da Univasf pediu. Levei para ele, que logo me liberou para o RH. Fui para o RH, que recebeu e conferiu todos os meus documentos e já marcou a "posse" (pois é, existe uma cerimônia de posse) para a parte da tarde.

Foi uma cerimônia simples mas significativa. Com outros 6 colegas, de áreas diversas, fomos recebidos pelo reitor da univerisidade, no seu próprio gabinete. Sim, ele mesmo, em pessoa. Ele falou sobre muitas coisas, inclusive sobre a origem da Univasf e os desafios que nos esperam por lá. Fiquei com uma ótima impressão dele e de tudo mais. Depois ele ainda pediu para que cada um falasse um pouco, e interação decorrente também foi muito legal.

Para coroar um dia em que tudo deu certo, ele (o reitor) ainda colocou um assessor seu à minha disposição, para me ajudar a encontrar uma casa em Petrolina ou Juazeiro. Amanhã de manhã vou encontrar com ele. Legal, né? Isso é que é receber bem os colaboradores.

Como nem tudo são flores, as minhas próprias tentativas de encontrar uma casa estão indo de mal a pior. Viu a casa ontem e ficou de pensar até hoje? Azar o seu, porque de ontem prá hoje alguém foi lá depois de você e acabou pegando, porque não tem nada em nenhum lugar mesmo. Então é o seguinte: viu, achou mais ou menos, aluga na hora. Ou esquece de vez. Esperar 24 horas é sentença de morte.

Espero que o tal assessor tenha boas dicas e bons contatos para me fornecer. Caso contrário, o que eu vou fazer com esse caminhão que está chegando?

4 comentários:

Gilberto disse...

Caro Marcus,

boa sorte nesta sua nova empreitada. Tenho certeza que logo você vai conseguir um lugar legal para você.

Gilberto

Ricardo disse...

Tio marcus,
estamos nos divertindo muito com as suas aventuras. Pelo menos, seu humor está ótimo. Ricardo percebeu que vc tem algu tipo de preconceito com relação aos bodes.
Não reclame do trânsito, coisa de metrópole, ou melhor petrópole...Só assim vc fica menos saudoso da sua sampa.
beijos, Roseli, Marina, Ricardo

Marcus disse...

Olá Gilberto,

Muito obrigado. A (futura) casa está à disposição sua e da sua família. Quando quiserem aparecer por aqui, será um prazer.

Abraço,
Marcus.

Anônimo disse...

Família Rosinha,

Obrigado pela visita. Nenhum preconceito contra os bodes vivos. E, para o trânsito, eu já encontrei uma solução bem boa. Depois eu conto.

Beijos e abraços,
Marcus.