segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Tourist Information 06 - Cachoeira da Gameleira

Segundo consta em uma ou outra notinha que eu consegui encontrar na Internet, trata-se de uma das três principais atrações ecoturísticas de Juazeiro, todas elas situadas ao longo do rio Salitre, um afluente do rio São Francisco. Por ordem de distância, a primeira é a Cachoeira do Salitre, a segunda é a Cachoeira da Gameleira e a terceira é a Gruta do Convento.

Quando eu saí de casa, a minha intenção era visitar a Cachoeira do Salitre. Mas, em função das dificuldades (vejam abaixo), perdi essa e acabei chegando na seguinte, a Cachoeira da Gameleira.

Situada a 68Km do centro de Juazeiro, a Cachoeira da Gameleira é um lugar muito interessante e bonito. A cachoeira propriamente dita é pequena, mas o que vale é o entorno: um lago profundo cercado de paredes de rocha elevadas e tudo isso decorado com muita vegetação. No conjunto, o visual é bastante harmonioso e vale a pena de ser visitado.

O problema é chegar lá. Não espere encontrar, nesses 68Km, qualquer placa ou indicação de qualquer natureza que te oriente sobre o caminho. Também não espere contar com as informações das pessoas, porque ninguém conhece nada ou não sabe informar. Isso se você encontrar com gente no caminho, pois a maior parte das almas vivas, quando estão presentes, são só de bodes, vacas, cachorros e avestruzes, que também não sabem orientar o turista. Portanto, tire o espírito aventureiro do armário e seja muito, mas muito mesmo, paciente e persistente. Só assim você vai conseguir chegar lá.

Pegue a estrada de Juazeiro em direção à Sobradinho. Você segue pelo asfalto, até que num certo ponto a estrada se divide em duas: você pode seguir em frente (o que não é natural) ou seguir à direita, o que parece mais razoável, mas que acaba levando você para Sobradinho. Então, resista à tentação e siga em frente, por mais estranho que isso possa parecer.

Depois de mais alguns quilômetros de aslfato, o mesmo termina e começa uma estrada de terra, buracos e pedras. A paisagem é de abandono, miserável mesmo, e apenas eventualmente você vai ver sinal de vida, com uma casinha aqui outra ali. Não conte com informações dos nativos, pois você pode se atrapalhar ainda mais.

Dirija em linha reta por exatos 29Km por essa estradinha de terra. O caminho vai ficando cada vez mais difícil e o carro vai começar a reclamar. Depois dessa distância, você tem que entrar à esquerda, passar por cima de uma pontezinha e subir um pedaço de morro. Até que você vai perceber que não adianta mais ir de carro e que o melhor é prosseguir a pé mesmo. Insista um pouco mais: vá dirigindo pela mata fechada, desviando das pedras e dos troncos. Quando chegar numa espécie de clareira, estacione o carro e siga a pé.

A esta altura, você deve ter um rio à sua esquerda. Pois vá seguindo o seu curso e logo você chegará na cachoeira. A partir dali, faça as suas próprias trilhas e explore as elevações rochosas e as diferentes vistas que elas proporcionam.

As fotos dessa vez estão em http://www.marcusramos.com.br/gameleira. Confiram e me digam se vale a pena tanto sacrifício. Não é por nada, mas umas plaquinhas da prefeitura não devem custar caro e ajudariam um bocado.

Não convém voltar no escuro. Saia de lá em tempo para chegar de volta no asfalto antes da noite cair. E torça para o seu carro não quebrar nem furar um pneu. Se precisar de gasolina, há um pequeno vilarejo no meio do caminho onde é possível comprar gasolina armazenada nuns barris na casa de um fulano, por R$3,00 o litro. Dadas as condições, eu achei até barato. Ele enche garrafas de água mineral vazias de 1,5l, e depois transfere para o tanque do seu carro usando o velho método da mangueira aspirada.

Fico devendo a Cachoeira do Salitre e a Gruta do Convento. Mas essas só quando o espírito do Indiana Jones baixar novamente.

8 comentários:

rogerio martins disse...

é bom saber q ainda existem pessoas com u forte espirito de aventura como o seu marcos..imagens muito belas..
gostaria de saber qual o periodo do ano mais indicado para fazer uma visita à cachoeira da gameleira.

Marcus disse...

Olá Rogério,
Obrigado, fico feliz que você tenha gostado das fotos. Infelizmente eu estive lá uma única vez, por isso não sei se existem mudanças no local ou no acesso ao longo do ano. De qualquer forma, leve um protetor solar e muito espírito de aventura!
Abraço,
Marcus.

daiana.... disse...

olá marcus...poxa estou aqui impressionada com tanta beleza...desconhecida,pois tenho uns amigos q querem conhecer petrolina- juazeiro e estava buscando na net informaçoes...e gostaria muito de conhecer essa cachoeira,mas a s condiçoes q vc citou realmente me deixou desanimada.
se daqui p novembro algo for feito quem sabe...
parabens pelo grande papel de cidadao...abraços

Marcus disse...

Olá Daiana,
Obrigado pelo seu comentário. Fico realmente feliz que as minhas informações estejam lhe sendo úteis. Sinto apenas que, com tantas coisas interessantes para o turista ver e fazer por aqui, a reigão não ofereça uma infraestrutura mínima para incentivar essa atividade, como já é comum em outras cidades do país. Mas venha mesmo assim, você não vai se arrepender.

Anderson Cortez disse...

E ai cara, já estava pesquisando como chegar na cachoeira do Salitre, então vi em alguns "guias" que pega a BA 210 e segue pra Junco, só que Junco fica bem antes de Sobradinho, então a pergunta, a Cach. da Gameleira fica depois de Junco ou fica perto de Sobradinho, porque se assim for, só dá para visitar 1 cachoeira no mesmo dia, se não fica corrido! Outra coisa, ir de moto é viável? Valeu cara, abraço!

Marcus disse...

Olá Anderson,
Não conheço nem sei onde fica Junco, mas sei que a cachoeira fica perto de Sobradinho. Você pega a estrada que vai de Juazeiro para Sobradinho e, depois do lixão, você segue reto em vez de entrar à direita (o que te levaria até Sobradinho). No final do aslfato começa uma estrada de terra, e só seguir em frente por cerca de 30km. O caminho é bem ruim, não recomendo ir de moto não.
Abraço e bom passeio!

Jaelson Lima disse...

Eu estive lá. Graças ao amigo Marcus consegui encontrar a tal cachoeira. Deu uma trabalheira danada mas enfim pude apreciar este resquício de natureza na nossa região. Vale a pena.

Marcus Ramos disse...

Olá Jaelson,
Fico feliz que as informações tenham lhe sido úteis. É muito bom contribuir para a divulgação das belezas regionais!
Abraços!