terça-feira, 27 de setembro de 2011

CEMAFAUNA da UNIVASF

O Centro de Conservação e Manejo de Fauna - CEMAFAUNA - da UNIVASF cumpre uma missão de grande valor no Vale do São Francisco: preservar a vida animal, minimizando o impacto causado pelas polêmicas obras de transposição do rio. Antes que tratores e escavadeiras comecem o seu trabalho, a equipe do CEMAFAUNA vai até o local e recolhe os animais que estiverem pelo caminho. Depois de uma triagem, eles são transportados para outros locais onde possam se readaptar e seguir vivendo. Os feridos ou subnutridos são trazidos para Petrolina, onde recebem cuidados para depois serem devolvidos para a natureza, em locais compatíveis com os seus habitats de origem. Hoje o CEMAFAUNA abriga cerca de 300 animais, entre sussuaranas, guaxinins, gambás, cobras e macacos de várias espécies, tartarugas, jacarés, cachorro-do-mato, gatos selvagens, papagaios, aves variadas etc. É um lugar muito interessante de se visitar, um verdadeiro zoológico das espécies mais comuns do sertão. O Centro conta com enfermaria, viveiros e atendimento especializado, tudo do bom e do melhor para que esses bichinhos continuem entre nós por muito e muito tempo.

Beyond the rainbow

Aconteceu nesse último domingo a segunda edição da Parada da Diversidade "Petrolina Além do Arco-Íris". Com um público menor do que o que compareceu à primeira edição no ano passado, provavelmente em função das indefinições sobre a sua realização e da divulgação tardia, o evento não foi menos animado e interessante do que aquele, tendo contado com dois trios elétricos motorizados, diversas drag-queens, o próprio público GLS e também uma grande quantidade de famílias, amigos e curiosos, que fizeram da parada o seu programa de final de tarde no domingo.

Retorno ao Candomblé do Pai Adilson

Quando eu estive lá pela primeira vez (veja aqui e aqui), em agosto de 2010, eu não conhecia o Pai Adilson fui como convidado da minha amiga Roberta Duarte. Desa vez, em agosto de 2011, eu retornei como convidado do próprio Pai Adilson e ainda levei, de quebra, mais dez fotógrafos comigo, todos participantes do projeto Jornadas Fotográficas do Vale do São Francisco.

A festa, pelo que eu como leigo pude entender, foi a mesma do ano passado, porém com alguns rituais de iniciação e outras coisas a mais. Assim como no ano passado, foi uma festa linda e emocionante, que manteve o grupo inteiro concentrado e atento aos mínimos detalhes, do início ao fim. Tudo começou por volta das 17:30hs de um domingo, e se estendeu, de maneira quase mágica, até a 01:00 da segunda-feira. Depois disso, esgotados mas com a bateria carregada por tanta coisa boa que presenciamos por lá, um grupo menor ainda resolveu sair para bater papo e trocar idéias sobre a experiência, nova para a maioria.

Pai Adilson e os demais presentes, como sempre, foram de uma hospitalidade e uma generosidade excepcionais, o que reafirma a nossa admiração por todos e o nosso orgulho em poder desfrutar da sua amizade.

Para ver outra postagem e uma foto de parte do grupo nesse dia, clique aqui.