segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Não da minha

Logo ali, na descida da ponte, na entrada de Juazeiro.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Not for me

Se há algo que eu aprendi nesses últimos três anos, é que mais vale uma dura e cansativa semana de trabalho do que um final de semana, um feriado ou, pior ainda, um feriado prolongado. Pelo menos os dias são movimentados, as pessoas estão por perto e a cabeça fica ocupada. Felizmente acabou.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Antigo?

A caminho da Livraria Cultura, no bairro do Recife Antigo, é difícil não parar para contemplar - e fotografar - essa que é uma outra família de immotus nec iners espalhada pelas paredes dos casarões e muros do local.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Hospital de dinossauros

Nas proximidades do Mercado São José, em Recife, parece haver solução para tudo - desde aparelhos de videocassete até toca-discos quebrados. Um alento para aqueles que, como eu, ainda tem um acervo não desprezível desses objetos pré-históricos na sua casa. Não anotei o telefone, mas também não acredito que ele tenha um, pelo menos celular. Para chegar até ele, o velho e bom reconhecimento de padrões associado a um sistema básico de consultas deverá ser mais do que suficiente.

Festa do Tamarindo em Caboclo

Aconteceu nos últimos dias 29 e 30 de outubro a 8ª Festa do Tamarindo em Caboclo (Afrânio). E, dessa vez, eu levei comigo um grupo de 24 participantes das Jornadas Fotográficas, para registrar mais uma vez o lugar, a festa, o entorno, e as pessoas que moram lá ou apenas vem de cidades vizinhas para participar da festa.

A animação foi grande, tanto na noite de sábado, quando a tradicional apresentação da orquestra Opus 68 foi substituída por uma serenata, casais dançantes e atrações de um pequeno parque de diversões. O domingo teve o já famoso concurso de culinária com prêmios para as melhores e mais originais receitas de pratos com tamarindo, e depois disso uma sucessão de apresentações de música ee dança, com demonstrações de São Gonçalo, roda de samba, xaxado, forró, banda marcial etc, o que contagiou os presentes e garantiu a continuidade da animação debaixo de um sol fortíssimo. Nosso grupo, no entanto, não ficou apenas na festa e fez trilhas, explorou a região e aproveitou cada momento do nosso final de semana prolongado - tanto para a fotografia quanto para a diversão e a confraternização.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Night life

Motivado por uma consulta recebida no blog, resolvi escrever um pouco sobre as principais opções de lazer noturno disponíveis em Petrolina e Juazeiro. Talvez eu não seja a pessoa mais apropriada para escrever sobre esse assunto, uma vez que eu saio pouco de casa, mas mesmo assim acho que posso dar algumas dicas úteis para quem estiver querendo curtir a vida noturna na região.

Em Petrolina a vida noturna acontece basicamente na orla e no bairro da Areia Branca, onde fica o Bodódromo, geralmente entre quinta e domingo. Na orla os locais mais agitados são o Barretu´s, espécie de bar/restaurante/churrascaria com música ao vivo, e o Empório 845, um pouco menor e que faz o estilo boteco, como hoje em dia é comum de se encontrar nas grandes cidades. Há também o Bacana e alguns outros bares mais simples ao longo do calçadão. Na Areia Branca existe uma grande quantidade de bares e restaurantes, e o bairro inteiro vive nesse clima noturno e festivo quase que o tempo todo. São lugares sem sofisticação, mas ainda assim muito movimentados. No Bodódromo, em particular, o restaurante do Geraldo costumava organizar um forró bastante concorrido nas noites das quintas-feiras, mas não sei se ele ainda acontece. Também na Areia Branca, uma boa opção é o Clube América, que tem um forró bastante animado nas noites das sextas-feiras.

Em Juazeiro o lugar é o Depósitto Dancing, uma boate/discoteca que integra um espaço maior onde também está o restaurante Armazém Café. Os shows lá costumam ser bastante animados, assim como a frequência, que geralmente é bastante numerosa e bem arrumada. Outro local interessante é o Quintal do Poeta, próximo do Depósitto, mas é necessário verificar se ele está aberto e se há alguma programação prevista para o dia. A orla de Juazeiro costuma ter festas e eventos quase todas as noites. Com a quantidade de bares, barracas e caixas de som que estão instaladas pelas calçadas da orla, é fácil imaginar que esses eventos são geralmente bastante caóticos e barulhentos, atraindo grande número de pessoas. Juazeiro também tem um barzinho simpático, o Alpendre, localizado na lagoa que fica na parte de trás da cidade.

Se a vida noturna quiser ter início num bom restaurante, eu posso recomendar o Maria Bonita (que ouvi dizer que fechou, mas ainda não tive confirmação), o Capivara, o Barrettu´s, o Bacana, o Flor de Mandacarú, o Maria do Peixe, o Piracema, o Cana Brava ou o Carranca Gulosa, um pouco mais afastado do centro.

Enfim, são essas as opções que me ocorrem no momento. Vários dos locais citados acima já foram assunto de postagens anteriores minhas, aqui nesse blog mesmo. Vale a pena fazer uma pesquisa para ter mais informações. Se alguém quiser ou puder acrescentar comentários ou sugestões, todos eles serão bem-vindos.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Soils & Art no Museu do Sertão

Exatamente um ano depois da exposição original, realizada em outubro de 2010 no campus Juazeiro da UNIVASF, as fotografias que compõem a mesma oram novamente exibidas ao público, dessa vez no Museu do Sertão, em Petrolina/PE. Durante todo o mês de outubro centenas de visitantes puderam rever as imagens feitas por mim como parte do projeto de mesmo nome coordenado pela professora Carmem Masutti. A exposição foi ainda tema de uma matéria com entrevista concedida pela professora Carmem à repórter Kátia Gonçalves da TV Grande Rio (afiliada da TV Globo local), e que foi levada ao ar no Jornal do Meio-Dia da última sexta-feira, dia 28/10. Para assistir, é só clicar aqui.