segunda-feira, 8 de março de 2010

Disco voador sim senhor

Certas experiências são marcantes na vida da gente, e mudam por completo a nossa forma de ver ou ponderar sobre as coisas. Depois que eu vi um disco voador, muitos anos atrás, por exemplo, eu sempre ouvi com muito mais atenção as histórias que eventualmente chegam até mim sobre o assunto. E eu geralmente acredito nelas sem questionar muita coisa.

Pois não é que foi justamente no dia 15 de fevereiro de 2010, em plena segunda-feira de carnaval, enquanto eu estava rodeado de E.T.s e outros tipos nas ruas de Olinda e Recife, que os legítimos resolveram aparecer em Petrolina?

A fonte é confiável e a história é a seguinte: madrugada, longe do lugar onde se comemorava o carnaval, um bairro residencial. De repente, interrupções no fornecimento da luz, até que o blackout se instala de vez, mas apenas nessa região. Em seguida, uma luz fortíssima faz a noite virar dia, como se um holofote estivesse iluminando um grande cenário. Luz de doer os olhos, iluminação de meio-dia. Da janela dessa casa tudo era observado, e o episódio durou cerca de 30 minutos. Acima de tudo lá estava ele, redondo e imóvel como era de se esperar. Em seguida, a luz da rua (e a escuridão da noite) retornam aos seus devidos lugares, e o objeto não foi mais avistado.

Pena que eu perdi essa. Mas é bom saber que eles estão por aí e que o calor do sertão não é forte o suficiente para mandá-los para outras paragens apenas. Será que E.T. também gosta de bode com macaxeira? Ou aprecia os vinhos do Vale do São Francisco? Pensando bem, dependendo de onde eles venham, talvez até estejam achando o clima por aqui fresquinho...

quinta-feira, 4 de março de 2010

Páscoa no sertão

Que o calor é grande por aqui, isso todo mundo já sabe. Que a vida útil de um chocolate na temperatura ambiente é calculada em (poucos) segundos, idem. O que talvez nem todo mundo saiba, no entanto, é que as soluções encontradas pelos comerciantes locais para lidar com essa situação às vezes são bastante originais e interessantes.

É o caso, por exemplo, do Supermercado Regente, no centro de Petrolina. Com a proximidade da Páscoa, é chegada a hora de montar aqueles varais nos corredores, com cerca de 2 metros de altura, os quais servem para pendurar os ovos de chocolate que vão ser expostos rente à cabeça dos consumidores.

No Regente, no entanto, esses varais foram montados em cima e no entorno daqueles freezers horizontais, sem porta, onde são oferecidas os frangos, as pizzas, as carnes e todos os demais produtos congelados típicos de um supermercado.

Dessa maneira, a mesma energia que é gasta para manter esses quitutes gelados conservados por mais tempo, serve também, indiretamente, para resfriar e fazer com que os ovos de chocolate mantenham a sua consistência original, pelo menos até chegar na mão do consumidor.

Título de funcionário do mês e foto na parede, sem dúvida, para o autor da criativa solução.