sábado, 28 de novembro de 2009

Tourist Information 12 - Geopark Araripe

Dessa vez a viagem foi pelo lado norte do estado, em direção à Chapada do Araripe, que ocupa praticamente toda a fronteira entre os estados de Pernambuco e Ceará. É um passeio de cerca de 300Km de distância (apenas ida), que pode ser feito num final de semana, e que proporciona momentos de grande beleza e diversão.

Saindo de Petrolina, sugere-se tomar, em Lagoa Grande, a estrada que segue por Santa Cruz, Ouricuri, Bodocó e Exu. A alternativa mais natural talvez fosse seguir por Santa Maria da Boa Vista, Cabrobró e Salgueiro. No entanto, a primeira opção disponibiliza uma estrada igualmente boa, com a vantagem de ser praticamente isenta de caminhões, o que torna a viagem mais tranquila e segura.

Exu, a última cidade de Permanbuco nesse roteiro, fica no pé da Chapada do Araripe, e é lá que começa a subida da mesma. É lá, também, que a vegetação da paisagem começa a sofrer transformações radicais, apresentando-se mais verde, mais alta e mais densa. Depois de uma longa e tortuosa subida, percorre-se cerca de 50Km em cima da Chapada, num lugar onde a estrada é absolutamente plana e o horizonte segue a linha da estrada. Quando começa a descida, pode-se seguir em frente por mais alguns poucos quilômetros e chegar no Crato, já no Ceará, ou então entrar à esquerda e tomar o caminho no destino de Santa do Cariri.

O Geopark Araripe, administrado pela Universidade Regional do Cariri é, na verdade, um conjunto de pontos localizados na Chapada e ao redor dela, onde são encontrados locais com formações de grande interesse geológico. A área não é delimitada, mas em cada um desses pontos podem ser encontrados grandes totens com textos em português e em inglês que explicam as suas origens e a sua importância científica.

Na estrada entre Nova Olinda e Santana do Cariri (em más condições gerais de conservação, diga-se de passagem, com um trecho onde a estrada está praticamente desabada), por exemplo, é possível visitar morros e montanhas com formações rochosas de grande beleza. Depois que o asfalto acaba, é possível ainda seguir por uma estrada de terra e chegar no alto de um morro onde foi montada uma infraestrutura com mirante e restaurante, para o turista descansar e desfrutar da belíssima paisagem oferecida pelo vale no entorno de Santa do Cariri.

Voltando para o Crato, o roteiro tem pontos de interesse tanto nesse cidade, como também em Juazeiro do Norte, Barbalha e Missão Velha. Consta que por lá existe um dos maiores museus brasileiros de paleontologia, pois a região é rica em fósseis animais e vegetais, mas esse eu não cheguei a conhecer.

Em Barbalha a parada obritagória é no Arajara Park, um complexo botânico e aquático de grande beleza, onde as ricas fauna e flora da região são preservadas e exibidas para os visitantes. Num ambiente formado por piscinas, praças de alimentação e quiosques, é possível admirar bromélias, samambaias, grandes árvores, vegetação alta e densa e tudo mais que se imaginar encontrar numa verdadeira floresa tropical, porém no meio do sertão.

Mas é em Missão Velha que fica o "geotope" (nome dado para esses pontos de interesse geológico que compõem o Geopark Araripe) mais interessante. No meio de um imenso terreno árido e com solo rochoso, abre-se uma gigantesca e belíssima cratera no chão, e ali um nasce rio, a partir de uma cachoeira que nem sempre está (como não estava dessa vez) derramando água.

Estando em Petrolina, não se deve deixar de conhecer o Geopark Araripe. Reserve dois ou três dias para o passeio e prepare-se para descobrir locais de grande beleza, além de conferir, na prática, a riqueza e a diversidade das paisagens que o sertão nordestino proporciona aos seus visitantes.

As fotos aparecerão por aqui em algum momento futuro, em outro post sobre esse mesmo assunto. Vale a pena, no entanto, conferir o site oficial do parque em www.geoparkararipe.org.

Esta foi mais uma excursão em companhia da Profª Carmem Masutti e sua turma de Geologia Aplica à Solos do curso de Engenharia Agrícola e Ambiental da UNIVASF.

Nenhum comentário: