quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Tourist Information 13 - BR-235 e BR-324

Esses são os nomes das duas "estradas" que formam o "caminho" que liga Petrolina (PE) à São Raimundo Nonato (PI). A primeira vai de Petrolina até Remanso (BA). A segunda continua a viagem até o destino São Raimundo Nonato. Se você estiver pensando em fazer essa viagem, leia atentamente as informações abaixo e vá, pelo menos, sabendo o que você irá encontrar pela frente. Depois não diga que eu não avisei.

No total são 300Km, numa travessia, nessa ordem, pelos estados de Pernambuco, Bahia e Piauí. Cerca de 220Km estão na Bahia, 50Km ficam no Piauí e os outros 30Km estão em Pernambuco. No entanto, a segmentação que importa é outra: partindo de Petrolina, você percorre inicialmente 130Km de asfalto liso; depois disso, são 120Km de uma estrada totalmente destruída em que a viagem se torna um pesadelo profundo, e finalmente, chegam os últimos 50Km, que podem ser comparados a um pesadelo moderado (se não existissem os 120Km intermediários, esse trecho corresponderia, com certeza, ao pesadelo profundo).

Esse trecho de 120Km corresponde à 40% do percurso total, mas responde pela maior parte do tempo de viagem, cerca de 6 horas sem paradas. Nele, a paisagem é variada: há longos trechos em que vestígios arqueológicos do asfalto original se misturam de forma desordenada com terra, pedras, buracos, vegetação e muita poeira. Em outros trechos o asfalto sumiu completamente e o chão batido virou "a estrada".

A sinalização é inexistente, ou quase. Nesses 120Km, só me recordo de ter visto uma irônica e saudosista placa lembrando ao motorista que, se a estrada ainda estivesse lá, a velocidade máxima permitida seria de 60Km/h (placa esta, por sinal, que está enferrujada e cravada com balas), alguns metros de uma patética faixa amarela pintada em alguns pedaços de asfalto, uma placa escrita à mão "Vende-se gasolina" e uma outra, no mínimo curiosa, oferecendo bode assado ao lado do desenho de um coelho. Fora isso mais nada, nem mesmo um posto de gasolina, uma oficina ou qualquer outro ponto que pudesse servir de apoio para o motorista necessitado. A única salvação é a cidade de Remanso, que fica mais ou menos no meio desse trecho. De qualquer forma, ela pode estar a várias dezenas de quilometros do ponto onde você estiver precisando de ajuda.

Dirigir por esse caminho é uma experiência inesquecível, para você, o(s) seus(s) companheiro(s) de viagem e para o seu carro. Com uma velocidade média em todo esse trecho de cerca de 30-40Km/h, você vai estar o tempo todo indo do mínimo de ~10Km/h, onde os buracos são mais numeros e profundos, até o máximo de ~60Km/h, nos poucos trechos em que a estrada está totalmente destruída, ou seja, onde o asfalto já foi completamente eliminado e o chão de terra apresenta uma uniformidade que permite acelerar um pouco mais. Mas são raros os trechos com essa característica, por isso não adianta ficar animado.

Na maior parte do tempo você vai estar sacudindo para tudo quanto é lado, caindo e saindo de buracos, desviando de pedras, engolindo muita poeira, dirigindo em zigue-zague, freando repentinamente, andando pelo acostamento, dirigindo na contra-mão (inclusive pelo acostamento da contra-mão), ouvindo pancadas fortes debaixo do seu carro, levando sustos, falando palavrões (ainda que apenas para você mesmo), estimando as suas chances de chegar com o carro inteiro no destino e calculando o tamanho da conta que o mecânico vai te apresentar assim que você tiver a oportunidade de encontrar algum pela frente. É pura emoção, sem dúvida nenhuma.

Não bastasse isso, a estrada (o trecho completo, e não apenas os 120Km mais críticos) é povoada por animais de todos os tamanhos e espécies, que são absolutamente indiferentes à passagem dos veículos (bem poucos, diga-se de passagem) e usam a "estrada" como se fosse a casa deles. Na verdade, talvez seja mesmo. Ali, fui eu que me senti o animal na pista dos outros. Portanto, muita atenção aos bois, vacas, bezerros, cavalos, jegues, bodes, cabras, cachorros, aves variadas e até porcos, pois eles com certeza irão cruzar o seu caminho e caberá a você tomar as providências que poderão garantir uma convivência pacífica.

Quer mais? Consta que essa "estrada" já foi, em tempos não muito distantes, dominada por jagunços especializados em assaltar os carros que por ela trafegam. Viajar de noite, então, era praticamente certeza de viver mais essa experiência. Atualmente a coisa está melhor, mas mesmo assim convém se informar para saber se há mudanças. Os poucos vestígios de seres humanos no pior trecho ficam por conta das crianças que vendem umbú e mel em um ou outro ponto, e também de um ou outro homem morador da região que trabalha tapando buracos na estrada e, por isso, pede dinheiro aos motoristas que estão de passagem. Uma nobre atividade, mas que remete ao famoso "tampar o sol com a peneira". Fora isso, não é raro cruzar com um ou outro "pau-de-arara", como são conhecidos os caminhões e pick-ups que transportam pessoas como se fossem carga.

Vai encarar mesmo assim? Então vou te dar algumas sugestões para tornar a sua viagem menos estressante: (i) leve água, muita água no carro; (ii) se possível, vá num utilitário alto; (iii) janelas fechadas e ar-condicionado ligado ajudariam muito, tenho certeza; (iv) passe filtro solar nos braços e nas pernas; (v) não fique com o carro parado por muito tempo nos piores trechos, pois a temperatura do motor sobe rapidamente; (vi) pratique um pouco de meditação antes de começar a viagem; (vii) em Remanso, faça uma parada num local chamado "Prainha de Amaralina" e procure relaxar um pouco enquanto aprecia a vista da represa de Sobradinho, molha os pés na água e repõe as energias para encarar mais outro tanto; (viii) pensamento positivo sempre: lembre-se que, por pior que seja, aquilo tem um fim e talvez a recompensa pelo que você vai encontrar do outro lado supere com ampla folga as agruras dessa via crúcis.

Tire o dia para fazer a viagem. Por mais que você queria aproveitá-lo para fazer mais alguma coisa, vai faltar energia física e mental para tanto. E nem sonhe em ir de ônibus (sim, por incrível que pareça, essa é uma possibilidade). No carro você pelo menos está vendo e participando de tudo. Você pára quando quer e descansa quando precisa. De ônibus (eu já tive essa experiência) você vai apenas sacudindo por horas a fio, sem ter a menor noção do que se passa lá fora, e se sente um legume jogado dentro de um liquidificador. No carro você xinga o responsável pela manutenção da estrada. No ônibus você xinga o motorista que, é claro, não tem nada a ver com isso.

Ouvi dizer que esse trecho é considerado um dos piores do país. Será que existe alguma autoridade tomando providências em relação ao assunto? Existindo ou não, recorro ao Boris Casoy para sintetizar o sentimento de quem já desfrutou dessa experiência: "Isso é uma vergonha!". Com vergonha ou sem vergonha, quando chegar do outro lado peça uma cerveja estupidamente gelada, tome com gosto e diga para você mesmo: "Eu fiz por merecer!"

19 comentários:

Carmem Masutti disse...

Querido Marcos, novamente, você descreveu com maestria a experiência de "andar" nesta estada. Aliás, por vezes durante minha ida a Remanso em novembro/09, pensei que seria melhor descer do carro e seguir a viagem andando. Teria como prêmio o exercício físico.

Concordo contigo quando diz que o motivo da viagem precisa justificar a penitência de viajar de carro. A pé, poderia facilmente se transformar no Caminho a São Raimundo Nonato, a semelhança do Caminho a Santiago de Compostela.

Em 1994, fiz o percurso entre Petrolina e Pilão Arcado em menos de 3 horas num asfalto récem-inaugurado. Hoje parece que foi um sonho.

Meu pai e meus irmãos escaparam ou foram vítimas de assaltos, com/sem tiros, em várias ocasiões, inclusive na fase pré-asfalto. Estes tem muitas histórias para contar desta estrada...

Tenho dois sobrinhos lindos que moram em Remanso e não posso conviver com eles tanto quanto gostaria, graças a esta estrada.

Uma grande vergonha mesmo.

Abraços.

Anônimo disse...

Prezado Marcos,
Você não sabe o quanto foi oportuna minha visita a teu blog. Estava pensando seriamente em ir a Serra da Capivara daqui a duas semanas. Planejava voar até Petrolina e alugar um carro para pegar esta preciosidade de rodovia. Pesquisei muito sobre o destino, e em nenhum lugar achei as informações valiosas e atualizadas que voce proporciona. Após analisar seus posts, resolvi aguardar a inauguração do aeroporto de SRN. Muito obrigado por salvar-me desta fria. Felicidades na sua jornada.

Marcus disse...

Fico feliz em ter lhe proporcionado informações que talvez de outra forma você não tivesse acesso, e também por ter te poupado, como você diz, dessa "fria".

Por outro lado, gostaria de lhe sugerir uma viagem de avião até Teresina, e depois o percurso de carro até SRN. São cerca de 500Km, mas a estrada é muito boa e você viaja sem stress.

Não sei quanto tempo ainda vai levar até o aeroporto ficar pronto, por isso é bom não arriscar uma longa espera.

De qualquer forma, não deixe esses problemas impedirem você de conhecer o Parque Nacional da Serra da Capivara. Uma vez lá, você irá entender que os fins justificam os meios, pelo menos nesse caso.

Obrigado pela visita e um abraço.

Pedro e mamãe Julianna disse...

Muito boas as fotos e seus comentários. Mas...a placa onde diz "bode assado" tem a imagem de um coelho?? Pelo menos parece hehe

Marcus disse...

Exatamente. Deve ser o tal do "bode por lebre", ou então o contrário, "lebre por bode"...

Raul disse...

Bingo: Mais um! O teu blog acaba de matar mais uma "would be trip" para São Raimundo Nonato, partindo de Petrolina. Como estou sem carro, pretendia ir de ônibus mesmo. Fui na rodoviária, e a informação de que a viagem leva mais de 6 horas (em um trecho de menos de 300 km, é muito!) já me deixou um pouco cabreiro. Aí resolvi pesquisar o trecho na web, deparei com o teu blog, e acabo de transferir a minha viagem a SRN para um futuro ainda incerto (mas que, seguramente, virá!). Abraços, e obrigado pelas informações.

Marcus disse...

Olá Raul,
Obrigado pela visita! Não deixe de visitar SRN e, especialmente, o Parque Nacional da Serra da Capivara. A viagem é complicada mesmo, mas a recompensa quando se chega lá é grande. Espero que você faça a visita em breve.
Um grande abraço e boa sorte!

Militão disse...

Olá Marcus!

Imagine, só fui uma vez a SRN, de onibus (era um congresso) e não conheçi o parque. Estou programando para visitar o parque no carnaval e tomando coragem para fazer a viagem. Depois de tanto terrorismo sobre esta estrada, estou considerando se vale a pena fazer um desvio por Picos. . . Qual sua opinião?

Abraços

Marcus disse...

Olá Militão,
Não conheço esse caminho por Picos. De qualquer forma, não se deixe intimidar: o local é fantástico e vale a pena qualquer sacrifício. Caso você faça esse caminho, agradeço se depois você puder deixar um depoimento aqui para que todos possam conhecer essa alternativa.
Grande abraço.

Militão disse...

Olá a Todos! Passei o feriado de Carnaval na Serra da Capivara. Fiz o caminho por Afranio (bem antes de Picos). De Afranio até Queimada Nova tem asfalto novo e a pista está muito boa até São Raimundo. Saiu até uma reportagem, confiram no link
http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,marcas-na-pedra,670626,0.htm

Abraços

Marcus disse...

Obrigado, Militão!
Grande abraço.

Marcus Ramos disse...

Não tenho nenhuma notícia sobre eventuais melhoras na condição do trecho mais curto que interliga Petrolina à São Raimundo Nonato, e que foi tema da postagem acima (BR-235 e BR-324). Sei apenas que as pessoas tem preferido ir por Afrânio, num caminho que é um pouco mais longo (313Km contra 374 Km) mas também mais rápido (cerca de 7hs contra 5 horas e meia nesse último) e incomparavelmente mais confortável. Esse caminho alternativo é formado pela BR-407 até Afrânio, depois PI-459 até São João do Piauí e finalmente BR-020 até São Raimundo Nonato. Eu vou fazer esse percurso na próxima sexta-feira, dia 10/06, e depois contarei mais detalhes.

Marcus Ramos disse...

Fiz o percurso citado no comentário acima na semana passada. Fui no dia 16 e voltei no dia 17. Não há dúvidas de que esse caminho por Afrânio é infinitamente melhor do que o caminho descrito na postagem (BR-235 e BR-324). Ele consiste em: BR-407 de Petrolina até Afrânio, PI-459 até entroncamento com a BR-020, e depois BR-020 até São Raimundo Nonato. Dá para fazer todo o trecho em 4 horas. A pista é excelente em todo o percurso, não há buracos e há apenas um ou outro trecho em obras, pequenos. O único problema é que não há sinalização quando se chega nas cidades ao longo do percurso. Depois de Afrânio, a estrada passa por Queimada Nova, Campo Alegre do Fidalgo e São João do Piauí, e não há placas indicando o caminho que deve ser tomado quando se chega em qualquer uma dessas cidades. O jeito é parar e perguntar para quem estiver na rua. Além disso, apesar do aslfato ser bom, a pista estadual, talvez por ser nova, não tem nenhum tipo de sinalização, nem vertical nem horizontal. Não bastasse isso, ela é sinuosa, cheia de curvas, subidas e descidas. Parece quase uma mini montanha-russa no interior no Piauí. Mas nada disso causa o mesmo nível de preocupação que a quantidade de animais soltos na pista. Em todo o trecho, jegues, bodes, vacas e porcos circulam tranquilamente e em grande quantidade, sem se importar com a presença dos carros. Se dirigir de dia é perigoso, de noite então nem pensar. Pesando tudo, não há dúvida de que essa ainda é a melhor opção.

Luisa disse...

Oi Marcus
Gostaria de agradecer pelas excelentes informaçoes e fotos que vc disponibilizou no teu blog sobre a Serra da Capivara.
Graças as suas informaçoes sobre o lugar e principalmente sobre a situaçao das estradas, a minha viagem pra là foi super tranquila.
Obrigada mesmo!
Luisa

Marcus Ramos disse...

Olá Luísa,
Fico feliz que as informações tenham lhe sido úteis. Eu mesmo já sofri bastante por causa disso aqui, então me alegro quando vejo que estou podendo modificar um pouco essa situação.
Abraços!

Julio Cesar Cordeiro disse...

Puxa vida, que sorte ter tido a presença de espírito de digitar no Google "estrada Remanso São Raimundo Nonato" e ter chegado a seu blog...amanhã cedinho (01/02/2011) vou fazer este caminho, em direção a Bom Jesus (PI), e o mesmo Google me recomendou ir pelo caminho que agora, seguramente, evitarei.
Obrigado, muitíssimo obrigado pelas valiosíssimas informações.

Marcus Ramos disse...

Olá Júlio,
Obrigado pela visita. Eu ouvi dizer, mas ainda não pude confirmar, que o trecho entre Petrolina e Remanso teria sido pavimentado, o que, se for verdade, representaria um grande avanço do sentido de tornar a viagem até São Raimundo Nonato mais viável. Mesmo assim, ainda haveria o trecho entre Remanso e SRN, em condições muito ruins, a ser vencido. Assim que souber voltarei a escrever. Um abraço!

Anônimo disse...

Ola!Meu nome é Claudemir, moro em Remanso-BA "Graças a Deus" desde Dezembro de 2007, larguei a correria de São Paulo e sou muito feliz por essa escolha.
Desde o ano de 2012 o trecho entre Petrolina-PE e Remanso-BA (220Km), esta totalmente pavimentado e bem sinalizado, entre Remanso-BA até a divisa do Piauí (35Km), esta péssimo, da divisa do Piauí até Dirceu Arco Verde-PI (13Km), é asfalto e bom, de Dirceu Arco Verde-PI até São Lourenço-PI (25Km), péssimo também, de São Lourenço-PI até São Raimundo Nonato-PI, paraiso total, asfalto novo e bem sinalizado.
Atualmente o trecho entre Petrolina-PE e São Raimundo Nonato-PI há 60Km de trecho sem asfalto e da para desenvolver a média de 40Km/h devido o asfalto antigo ter sido totalmente removido.

PS: Não esqueça de fazer uma parada na prainha de Remanso.
Obrigado!

Almeida & Lima - Geotecnologias disse...

Marcus, quanta precisão o que vc descreveu. Passei por ai sábado dia 03/05/2014. Lógico, passei por que não havia lido o seu blog antes rsrs. Mas passei por precisão, fui fazer um concurso em SR Nonato. Sem tirar nem por uma virgula, passei por tudo isso. O carro ta na oficina. Na volta fui pelo caminho que liga SR Nonato a Afrânio e depois pela BR407 até Petrolina. Alguns muitos km a mais, mas passa pela Serra da Capivara e compensa a viagem. Nesse trecho a diferença em relação a quantidade de animais é que lá moram além desses que vc citou, raposas, tamanduás, e cervos rsrs. Desviei de todos esses. Parabéns, a leitura do seu texto me fez encarar com um certo humor a viagem e a conta que o mecanico me entregou rsrs. Abraço