quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Like hell

Faz uns quatro ou cinco dias que o clima por aqui mudou radicalmente. De uma hora para a outra o ar parou de circular, ficou praticamente impossível dirigir na hora do almoço, a água da torneira queima a pele e o ventilador precisa ficar amarrado no tornozelo, para nos acompanhar aonde quer que a gente vá. Verdade que demorou para chegar, mas duvido que alguém estivesse com saudades...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Belo arco-íris

Certa vez eu soube de uma história (verídica) que me pareceu emblemática. No rádio, o locutor pergunta para o entrevistado:

- De onde você é?
- Se você tivesse me feito essa pergunta há mais tempo, eu teria respondido "Salgueiro"
(ou Serra Talhada, não me recordo). Mas depois que fizeram uma parada gay por lá, eu tenho vergonha de dizer que nasci naquela cidade.

A primeira Parada LGBTS de Petrolina - e do Vale do São Francisco - ("Petrolina Além do Arco-Íris") aconteceu ontem. Como foi a primeira, a expectativa era grande. Vai mesmo acontecer? Será que vem muita gente? Que tipo de pessoas virão? Como será que vai ser? Vai haver reação? E assim por diante...

Marcada para ter início às 16:00hs, as pessoas começaram a chegar, timidamente, apenas por volta das 17:00hs. Inicialmente muitos curiosos e muitos policiais apenas, aguardando o movimento que ainda se formava. Ativistas, mesmo, pouquíssimos. Não obstante, o som do trio elétrico estava sendo ligado, mais pessoas foram chegando, a animação foi tomando conta dos presentes e, quando já eram umas 18:30hs, estava claro que não apenas haveria parada, como ela seria uma grande parada.

Feitos os discursos das autoridades e das pessoas ligadas às causas da diversidade, a multidão saiu pela avenida em direção à orla. Como era de se esperar, muita música dos anos 70 e 80. Como não era tão óbvio, uma imensa multidão marcou presença e seguiu o trajeto do início até o final. Eu estimo que umas 50.000 pessoas, cerca de 10% da população total de Petrolina e Juazeiro, devem ter passado por lá.

Havia de tudo, como é comum nesses encontros. As drags, naturalmente, foram o foco das atenções. Mas também estavam lá os casais (de todos os tipos), as famílias, as crianças e os idosos. Muita curiosidade no ar, é verdade, afinal de contas foi um evento histórico. Muito mais Ss, é verdade, do que Ls, Gs, Bs ou Ts. Mas foi uma festa animada, com muita harmonia e dignidade, que deu o seu recado e que entrou para a história da cidade. Petrolina deu um importante passo para se tornar mais justa, mais esclarecida e melhor para os seus habitantes e visitantes.

Não vi nenhuma briga, nenhuma confusão. À exceção de um ensaio de um beijaço coletivo, já no final da parada, também não vi muitas demonstrações explícitas de carinho ou amor, seja lá de que tipo fosse. Como era tudo muito novo, havia muita timidez também, eu imagino. Mas o mais importante foi feito e agora é só aguardar pelas próximas edições, que já foram garantidas pelos organizadores. Espero que esse evento não seja jamais motivo de vergonha para ninguém, apenas de orgulho e de alegria. Parabéns, Petrolina!

sábado, 25 de setembro de 2010

Orquestra Matingueiros do Gil do Hemetério

Que privilégio poder assistir, numa mesma noite, Matingueiros, Gilberto Gil e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, como parte da programação do Festival Pernambuco Nação Cultural.

Os primeiros fizeram uma apresentação impecável, repleta de hits e novas criações, e foram saudados por uma platéia animada e totalmente sintonizada com o grupo. Acompanhando e embelezando ainda mais a festa, um grupo de bailarinos e bailarinas apresentava ótimas coreografias inspiradas na tradição musical nordestina, que é a matéria prima dos Matingueiros.

Gilberto Gil veio com forma e força e forma total, e mostrou energia e competência para manter uma vasta platéia de pé, pulando e dançando ao som das músicas do seu último CD, Fé na Festa, e também de sucessos mais antigos. Acompanhado por músicos de primeiríssima linha, como Toninho Ferragutti e Sérgio Chiavazzoli, ele embalou a noite de luar e festa à beira do rio São Francisco.

Quando os ânimos pareciam esgotados e o cansaço começava a levar parte do publico para casa, depois do show do Gilberto Gil, eis que surge no palco o endiabrado Maestro Forró, com a sua genial Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, para acender o fogo que ainda faltava (!) nessa madrugada de ventos frios. Com a sua animadíssima orquestra, ele tocou de tudo e mais um pouco, não parou de se mexer por um momento, fez caras e bocas, deu piruetas no ar, ficou de cabeça para baixo e manteve o público empolgado e dançando até o último acorde, executado já fora do palco e no meio da multidão que a essa altura também já tinha desistido de ir para casa e não queria mais sair dali.

Foram três grupos tão diferentes, mas ao mesmo tempo com tanta coisa em comum. Seria desnecessário citar a qualidade do trabalho por eles realizado e a animação contagiante de todos eles. Mas acho importante destacar, especialmente, o carinho e a competência que todos eles demonstram na criação, valorização, preservação e divulgação da música nordestina de qualidade. Foi uma noite exemplar e memorável.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Desafio Nordestino de Poetas Cantadores

Pode até parecer fácil para quem está sentado lá embaixo assistindo, mas tenho certeza que é exatamente o oposto disso. Após subirem ao palco, o mestre de cerimônias sorteia o tema e a dupla de cantadores, acompanhada pelas suas respectivas violas, tem que desenvolver o assunto sorteado em rimas durante cinco minutos. Depois disso, outros dois temas são sorteados e mais duas vezes eles tem que improvisar durante cinco minutos. Em cada uma das três fases, os versos devem seguir um certo padrão estrutural pré-estabelecido.

São, como se dizia antigamente, os famosos "repentistas", aqueles músicos/poetas que recebem um tema na hora e precisam, a partir dele, demonstrar toda a sua criatividade, erudição, estilo, humor e poesia. A melhor dupla leva o grande prêmio. Em função da natureza da competição, a tensão é evidente, assim como o talento dos artistas. E a reação da platéia é sempre vibrante e imediata, pois está tudo sendo criado ali na hora mesmo, na frente de todo mundo. Um espetáculo muito original e bacana de se assistir.

A competição de ontem foi a sétima etapa do Desafio Nordestino de Poetas Cantadores, evento que vem acontecendo desde o primeiro semestre em diferentes cidades do estado de Pernambuco. Cinco duplas concorreram e o público, formado por pouquíssimas pessoas, em função da pouca divulgação, se divertiu bastante.

O site do Desafio traz mais informações sobre a competição, apesar de estar desatualizado. Outras informações sobre a etapa de ontem estão disponíveis aqui.

domingo, 19 de setembro de 2010

Festival Pernambuco Nação Cultural

Semana que vem acontece, entre os dias 21 e 25, um dos mais importantes eventos da área cultural do ano em Petrolina e no sertão. Trata-se do Festival Pernambuco Nação Cultural, resultado de uma parceria entre o governo do estado e a prefeitura.

Já estamos praticamente na véspera do festival e eu, pelo menos até agora, ainda não consegui encontrar um site com a programação completa. Por isso eu resolvi compartilhar com vocês a mesma, já que eu tenho o privilégio de recebê-la diretamente da fonte (segue reproduzida abaixo).

Destaque (IMHO) para o Desafio Nordestino de Poetas Cantadores (na quarta), Fabiana Santiago e Orquestra Contemporânea de Olinda (na quinta), Matingueiros, Gilberto Gil e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (na sexta) e Samba de Véio e Antúlio Madureira (no sábado).

Diversão da boa e gratuita. Para não perder de jeito nenhum.

----------------------------------

TERÇA – 21 DE SETEMBRO
Fórum Regional de Cultura do Sertão do São Francisco
Local: Autarquia Educacional do Vale do São Francisco (Facape) Auditório
Horário: 8h às 17h

QUARTA – 22 DE SETEMBRO
Palco
Local: Concha Acústica – Praça Maria Auxiliadora
A partir das 20h

  • Desafio Nordestino de Poetas Cantadores

QUINTA – 23 DE SETEMBRO
Audiovisual
Exibição do documentário “Caetana O Filme”, de Lívia Falcão e Andréa Ferraz
Local: SESC - Petrolina
Horário: 19h
Mostra Ponto de Cultura Cine Raiz
Local: Telão/Palco (Porta do Rio-Orla fluvial de Petrolina)
Horário: 20h
- Institucional – Cine Raiz – Inclusão Audiovisual
- Em Comum (de Eduardo Carvalho e Camila de Morais)
- Gráficos da Vida (de Samara Gabriele)
- Fala Jovem Vila Marcela (de Talita Cláudia)
- Sonhos de Papel (de Ilana Copque)
- Quando o Nordeste Resolve Falar (de Chico Egídio)
- Domingo no Parque (Allissany Reis)
- Raiz e Remix – 5 anos (da Associação Raízes)
Música
Local: Porta do Rio – Orla fluvial de Petrolina
A partir das 21h

  • Coco de Amaro Branco (Olinda-PE)
  • Bongar (Olinda-PE)
  • Fabiana Santiago (Petrolina - PE)
  • Orquestra Contemporânea de Olinda (PE)
  • Pitty (BA)

SEXTA – 24 DE SETEMBRO
Audiovisual
Mostra Ponto de Cultura Cine Raiz
Local: Telão/Palco (Porta do Rio-Orla fluvial de Petrolina)
Horário: 20h
- Institucional – Cine Raiz – Inclusão Audiovisual
-No Pátio da Feira (de Aline Laurentino e Raiane Santos)
- Pedra Linda Deserto Habitado (de Edson Ricardo e Francineide de Sousa)
- Vale Curtas (de Allissany Reis)
- o nome das caras CARETAS (de Chico Egídio)
- Retratos (de Eduardo Carvalho)
- Faces do Jose e Maria (de Fernando Araújo)
- Raiz e Remix – 5 anos (da Associação Raízes)
Música
Local: Porta do Rio – Orla fluvial de Petrolina
A partir das 21h

  • Apocalypse Reggae (Petrolina-PE)
  • Matingueiros (Petrolina-PE)
  • Gilberto Gil (BA)
  • Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (Recife-PE)

SÁBADO – 25 DE SETEMBRO
Cortejo de Maracatu
Concentração: Praça do Bambuzinho até a Praça da 21 de Setembro
A partir das 17h

  • Maracambuco (Recife-PE)
  • Maracatu Leão Coroado (Recife-PE)

Artes Cênicas
Espetáculo Caetana
Local: Porta do Rio – Orla fluvial de Petrolina
Horário: 19h
Audiovisual
Mostra Ponto de Cultura Cine Raiz
Local: Telão/Palco (Porta do Rio-Orla fluvial de Petrolina)
Horário: 20h
- Institucional – Cine Raiz – Inclusão Audiovisual
- Onde Você Mora?! (de Jean Walber)
- Todo Dia, o Dia Todo (de Indira Lima e Pollyana Mattana)
- Eu tenho Pra Mim Que Tinha Que Ser Assim (de Chico Egídio)
- Ainda Existem Sonhos... (de Carliane Fernandes)
- Amor Eterno (de Fernando Baccarelli)
- Consciência (de Alexandre Justino)
- Dentro do Samba (de Netinho Nascimento)
- Raiz e Remix – 5 anos (da Associação Raízes)
Música
Local: Porta do Rio – Orla fluvial de Petrolina
A partir das 21h

  • Samba de Véio (Petrolina - PE)
  • Antúlio Madureira (PE)
  • Martinho da Vila (RJ)
  • Josildo Sá (Tacaratu - PE)
P.S. Antes tarde do que nunca, foi publicado hoje (dia 23/09) uma matéria sobre o Festival, com a programação completa, no site da Fundarpe. Clique aqui para acessar.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Entrevista para o Multicultura

Ontem eu fui entrevistado pela repórter Elka Macêdo, da Rádio Tropicalsat FM de Juazeiro. A matéria foi veiculada na tarde de hoje, no programa Multicultura, que discute temas ligados à cultura e às artes na região. A entrevista abordou a classificação do livro Linguagens Formais entre os 10 finalistas do Prêmio Jabuti na categoria "Ciências Exatas, Tecnologia e Informática" (mais informações aqui). Para ouvir na íntegra, é só acessar o podcast do programa, que está disponível aqui. Basta localizar "Multicultura 17/09 2º bloco", ligar o alto-falante do computador e depois clicar na seta correspondente.

P.S. O podcast do link acima foi removido pela administração do site da rádio depois de uma semana da veiculação original. Para acessar os arquivos de áudio do programa agora, clique nos links abaixo:

Cancelamento

Sinto informar que, por motivos alheios à minha vontade, a oficina de fotografia que iria acontecer nos dias 21, 22, 23 e 24 de setembro, como parte da programação do Festival Pernambuco Nação Cultural, está cancelada. Eu acabei de receber essa informação da prefeitura, que já havia me confirmado a realização da mesma anteriormente. Existe, no entanto, uma possibilidade de que ela aconteça na segunda quinzena de outubro. Caso essa opção se confirme, eu divulgarei com a devida antecedência. Lamento por eventuais transtornos causados.


quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Oficina no Festival Pernambuco Nação Cultural

Na semana que vem, dias 21, 22, 23 e 24, eu estarei ministrando mais uma oficina de fotografia (a terceira do ano), dessa vez como parte da programação do Festival Pernambuco Nação Cultural, promovido pela prefeitura de Petrolina e pelo governo do estado.

No primeiro dia (19:00 às 22:00hs) teremos uma aula teórica, abordando noções básicas de fotografia, manuseio da máquina (digital e filme) e conceitos de fotografia digital. No segundo dia (14:00 às 17:00hs) faremos uma saída para fotografar o balneário de Pedrinhas. O terceiro dia (idem) está reservado para o Museu do Sertão e a antiga estação ferroviária. E o quarto e último dia (19:00 às 22:00hs), como sempre, será dedicado à apresentação e análise do material produzido pelos participantes.

Como resultado, eu publicarei um site com as melhores imagens, e também haverá uma exposição, já confirmada, em local a ser definido. As inscrições devem ser feitas junto à organização do evento.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Raiz e Remix no "De Andada"

A TV Pernambuco (TVPE), emissora do governo do estado comandada pelo nosso amigo Roger de Renor, esteve no Raiz e Remix e fez um belo registro de vários momentos do festival, incluindo apresentações musicais, entrevistas e até cenas da cidade e da região. O programa, intitulado "De Andada", foi publicado em três partes no YouTube:

A primeira parte contém, entre outras coisas, um depoimento e uma pequena entrevista minha sobre as fotos que eu expus no Cordel Fotográfico.

Assistir os vídeos acima é uma excelente oportunidade para conhecer um pouco mais da região, ouvir e entender a história de grupos e artistas como Samba de Véio, Matingueiros e Isaar, e poder captar o astral do evento através de flagrantes diversos e também do depoimento do Chico Egídio, seu idealizador e principal organizador.

domingo, 12 de setembro de 2010

Além do Arco-Íris

Dando início ao meu projeto de organizar saídas fotográficas regulares, eu gostaria de convidar todos os interessados para participar da 1ª Jornada Fotográfica do Vale do São Francisco, que eu pretendo realizar no próximo dia 26/06, domingo, durante a Primeira Parada da Diversidade "Petrolina Além do Arco-Íris". A parada irá partir do Monumento da Integração às 16:00hs, e por isso sugiro que nos encontremos nesse local às 15:30hs.

Eu fotografei a Parada GLBTS de São Paulo entre os anos de 2003 e 2007, e posso garantir que trata-se de um ambiente muito bacana para se produzir boas fotos. Além do bom astral geral, com muita alegria e emoção, os participantes costumam ser bastante receptivos para fotos e há muitas cores, texturas, temas e momentos que merecem ser registrados. Não bastasse isso, trata-se do primeiro evento do gênero em Petrolina.

Na terça-feira, dia 28/09, a partir das 19:00, nós nos encontraremos novamente, dessa vez no campus da UNIVASF em Juazeiro, para ver e analisar o material produzido por todos. Para isso, cada um dos participantes deverá selecionar 20 imagens em alta-resolução e trazê-las gravadas num CD ou pen-drive. O material final será editado, tratado e publicado por mim num site da Internet e, eventualmente, será também usado para uma exposição conforme o interesse de eventuais patrocinadores.

Caso você tenha interesse em participar, por favor envie um email com NOME COMPLETO, TELEFONE e EMAIL para marcus(at)marcusramos(dot)com(dot)br.

Fiquem à vontade para divulgar essa iniciativa para amigos e conhecidos que tenham interesse em participar da 1ª Jornada. Espero que tenhamos um encontro agradável, repleto de boas imagens, e que esse seja o primeiro de muitos outros, sempre focando o turismo e a cultura em Petrolina e na região do Vale do São Francisco.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Cosme Cavalcanti e a Arte da Caatinga

O artista continua produzindo a pleno vapor e nos brindando com peças de grande originalidade (veja postagem anterior sobre o assunto). Além de expor a sua obra na Fenagri (Feira Nacional da Agricultura Irrigada) em Petrolina, e depois na FENNEART (Feira Nacional de Negócios do Artesanato), em Recife, Cosme tem dado várias entrevistas para jornais, revistas e TVs, e dessa forma o seu trabalho está aos poucos se tornando merecidamente reconhecido e apreciado em regiões que estão além da fronteira da caatinga. Dessa vez eu estou publicando novas fotos, de trabalhos produzidos por ele depois da sessão anterior.

Para conhecer mais a respeito, clique aqui (matéria do Diário da Região) ou aqui (matéria da Gazzeta). Ou então apenas leia o texto de apresentação que eu tive a honra de escrever em resposta a um convite do próprio Cosme para constar em seu material de divulgação:

"Cosme Cavalcanti possui inúmeros talentos. Ele é arquiteto, paisagista, marchand e idealizador, promotor e gestor de projetos culturais. Ao longo de mais de 30 anos, a sua carreira vem sendo pontuada por diferentes realizações que tem contribuído para a projeção e a valorização da cultura que emana do sertão e da caatinga. Por isso, é com grande satisfação que constatamos que a veia artística do nosso arquiteto não deixa nada a dever em relação à sua produção anterior. Ao contrário, ela reforça o seu bom gosto, o seu olhar diferenciado, o seu carinho e o seu compromisso com as coisas da caatinga, a sua bela visão daqueles detalhes que ninguém presta muita atenção ou leva em consideração. Afinal de contas, a sua matéria prima são "apenas" folhas, sementes, cascas e galhos secos, largados no meio da aridez. Coisas que por si não tem grande apelo visual mas que, nas mãos do artista Cosme Cavalcanti, tornam-se composições de grande beleza, delicadeza, elegância e sofisticação. Elas revelam a nobreza da caatinga e nos mostram que, quando temos o privilégio de contar com o olhar de um artista diferenciado, o mundo se torna mais belo e o nosso prazer estético mais plenamente satisfeito, dessa vez com o sotaque do sertão e da caatinga."

Carranca

Protegendo a orla de Petrolina num final de tarde do Dia da Independência.

Dunas do Velho Chico

Mais uma visita nas Dunas, mas dessa vez acompanhado pelos amigos que, além da diversão e da boa companhia, proporcionaram caiaque, varas de pescar, churrasco, cerveja e tudo mais. As varas trouxeram algumas surpresas, como foi o caso da piranha e da tartaruga, além dos tucunarés que foram devidamente consumidos na hora do almoço. A tartaruga, naturalmente, foi devolvida para o seu habitat natural e voltou correndo para a água. Nunca vi uma tão rápida assim, mal consegui uma foto depois que ela foi solta. Fora isso, fiz uma travessia de ~30min com o caiaque até uma ilha próxima, situada bem em frente à "orla". Paradisíaca, com uma linda lagoa azul no meio, ela é o cenário ideal para um acampamento selvagem no meio do sossego absoluto. Recomendo a visita.

P.S. Para saber como chegar lá ou ver mais fotos do local, clique aqui.

domingo, 5 de setembro de 2010

Quarteto de Brasília

Vinte e quatro anos de atividade e nove CDs gravados. Um currículo conhecido e respeitado no Brasil e no mundo. Não preciso falar mais, não é verdade? E eu, que já acompanho a carreira deles há muito tempo, e que tenho vários desses CDs na minha coleção, nunca tinha tido a oportunidade de assistir a uma apresentação do Quarteto de Brasília ao vivo. Ontem, no entanto, essa falha imperdoável foi reparada no Teatro do SESC, com mais um recital do projeto Sonora Brasil, série de quatro apresentações de música de câmara que circulam o Brasil num roteiro que inclui (thanks a lot!) a cidade de Petrolina.

Assim como no recital anterior da série, realizado pelo Quinteto Latino-Americano de Sopro em agosto, o tema do presente recital foi Cláudio Santoro e Guerra-Peixe, a música dodecafônica e a música nacionalista de ambos. Dois quartetos e dois duos foram executados de forma impecável, num contexto didático e de grande empatia com o público, em que os principais fatos e realizações das vidas dos dois compositores foram apresentados ao público, assim como explicações introdutórias sobre a música dos 12 sons, o movimento Música Viva etc.

Informações essas que não foram simplesmente passadas ao público por profissionais que conhecem o assunto, mas por músicos que se relacionaram e conviveram intimamente com Cláudio Santoro durante a fase da sua vida em que ele trabalhou como educador e regente titular da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília. Da relação entre colegas e amigos, surgiram histórias e informações preciosas, que por si só já valeram a noite.

Mais uma vez, foi um grande prazer assistir a um espetáculo desse nível. E, para minha surpresa, o auditório estava com uma lotação bastante razoável, bem mais do que eu esperaria para esse tipo de apresentação. Terminado o recital eu ainda fui, quase levitando, até o auditório do Centro de Convenções, onde consegui assistir o final do show do novato Erisson Porto, cantor e compositor pernambucano que encerrou a noite com seus interessantes frevos e maracatus. E, para minha nova surpresa, com um público bastante inferior ao do Quarteto de Brasília. Talvez a fama do primeiro e a novidade do segundo expliquem o fato. Mas ainda assim, um recital de música dodecafônica com público maior do que um show de música típica pernambucana? Alguma coisa está acontecendo por aqui...

O fato é que eles não ficaram apenas na música dodecafônica. Quando chegou a hora do bis, eles foram generosos e enveredaram pelo repertório popular, executando Corta-Jaca, de Chiquinha Gonzaga, Feira de Mangaio, de Sivuca e Glorinha Gadelha, Carinhoso, de Pixinguinha e Aquarela do Brasil, de Ary Barroso. Foi o suficiente para a empatia surgida entre músicos e platéia virar uma paixão intensa, a qual foi celebrada diversas vezes com demorados aplausos da platéia de pé e com vários retornos dos músicos ao palco. E que terminou com uma pequena multidão disputando os CDs que foram colocados à venda no próprio palco, enquanto músicos e espectadores conversavam animada e descontraidamente.

Os próximos recitais da série acontecerão nos dias 25/09 e 23/10, sempre às 20:00hs no Teatro do SESC Petrolina, respectivamente com os conjuntos Gyn Câmera, de Goiás, e Quinteto Leão do Norte, de Pernambuco. Eu não conheço nenhum dois, mas pelo observado nos recitais anteriores, o prognóstico é o melhor possível. Mais informações em http://www.sesc.com.br/sonorabrasil/.

sábado, 4 de setembro de 2010

Super holliday

Final de tarde na orla de Petrolina. Ideal para saudar o início de um super feriadão, pelo menos para quem trabalha do outro lado do rio. Começa hoje, sábado, e vai até quarta-feira, dia da Padroeira de Juazeiro.

Mais fotos de Caboclo

Depois de um ano eu estive em Caboclo pela segunda vez, nos dias 28 e 29 de agosto. Mais uma vez para participar da Festa do Tamarindo, que acontece todo ano nessa época. Mesmo já tendo fotografado bastante o local no ano passado (veja aqui), eu reservei algum tempo para fazer novos registros do vilarejo (muito menos do que no ano passado), e o resultado está aqui. Quem quiser mais informações sobre a festa e o local, pode assistir e ler as matérias do programa Globo Rural respectivamente aqui e aqui.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Entre os finalistas

Boa notícia é sempre vinda, especialmente quando chega de surpresa, sem a gente esperar. O meu livro, publicado no ano passado em co-autoria com os professores João José Neto e Ítalo Santiago Vega, está listado entre os 10 finalistas para o Prêmio Jabuti 2010, o mais tradicional prêmio do livro brasileiro, existente desde 1958, e que é oferecido pela Câmara Brasileira do Livro. Além disso, é o único livro de computação relacionado entre os concorrentes na categoria "Ciências Exatas, Tecnologia e Informática". Os vencedores serão anunciados no dia 1º de outubro. Até lá, toda torcida será bem-vinda!

Para mais informações, clique aqui.

Não é cenografia...

Chapada do Araripe, Ceará, 22/11/2009.