quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Festival Edésio Santos

Entre quarta-feira da semana passada (25/11) e esse último domingo (29/11), Juazeiro acolheu a décima-terceira edição do Festival Edésio Santos, um concurso de abrangência nacional que premia as melhores canções recebidas de todas as partes do Brasil.

Na quarta e na quinta-feira o festival aconteceu na orla nova de Juazeiro, ao ar livre, e com uma programação bastante interessante. Apesar do pouquíssimo público, foi com satisfação que eu assisti o show da Fabiana Santiago na quarta e o do Raimundinho do Acordeon na quinta. A Fabiana tem um repertório latino-americano e interpreta com competência clássicos da música mexicana, cubana, espanhola etc. Como não poderia deixar de ser, ela também incorpora a "Carmem" no palco (na expressão corporal, no figurino etc), e com isso a viagem pela América Latina romântica, passional e caliente fica completa.

Sexta, sábado e domingo o local já foi outro. Dessa vez também ao ar livre, mas no teatro de arena do Centro Cultural João Gilberto. Com um bom público nos dois primeiros dias, aconteceu a eliminatória do concurso: 10 canções apresentadas em cada dia, apenas 5 classificadas em cada dia para a final do domingo.

Os autores e intérpretes vieram do Brasil inteiro. Havia, portanto, opções para todos os gostos, a maioria de muito boa qualidade, e assim foram se formando as torcidas para essa ou aquela música, na tradição dos melhores festivais. O público já era significativo e o clima prenunciava uma final bastante disputada.

Quando finalmente o domingo chegou, o teatro estava abarrotado. Pessoas de todas as idades, famílias inteiras e crianças dormindo no colo. As 10 finalistas, selecionadas entre as 220 músicas enviadas para o concurso, iriam se apresentar pela segunda vez e tentar conquistar o coração da platéia - e dos jurados também.

Após a apresentação das oficinas de canto e violão que foram realizadas ao longo da semana, o ilustre juri, formado por nada mais nada menos do que Baby (Consuelo) do Brasil, Paulinho Boca de Cantor e Luís Galvão, entre outros, tomou assento e passou a ouvir com cuidado cada uma das 10 finalistas.

Depois de muita emoção, de ótimas interpretações e depois de anunciados os vencedores, o festival, que esse ano homenageou os 40 anos dos Novos Baianos, trouxe ao palco, para um show de encerramento, os três ilustres jurados que, depois de 40 anos, ainda colocam uma platéia inteira para dançar, pular, cantar e cobrar, a plenos pulmões, esse ou aquele sucesso que marcou as suas vidas.

Foi um grande show, com muita energia, muita emoção e, principalmente, o grande prazer de ver, ouvir e poder fotografar de tão perto esses ícones da música brasileira. Melhor ainda foi estar lá na companhia dos novos amigos... Se assim não fosse, eu não teria ficado até o último acorde, que soou praticamente às 3 horas da madrugada, véspera de um início de semana pesada, com mil coisas para fazer na segunda-feira.

Alguns momentos do festival estão registados na composição acima. Clique para ampliar e ver os detalhes mais de perto.

Ano que vem tem mais!

Um comentário:

Carmem Masutti disse...

Obrigadão por me fazer conhecer este ótimo Festival e aterrisar nos eventos da região.