domingo, 11 de julho de 2010

O que será, que será?

Na primeira tentativa, uma pessoa se aproximou para me fazer alguma pergunta. Me afastei, fiz de conta que não era comigo, dei uma volta no quarteirão e retornei mais tarde. Na segunda tentativa, despertei logo a atenção de uma segunda pessoa, que saiu não sei de onde e veio direto para cima de mim. Resolvi não esperar para saber do que se tratava.

Fui seguido por alguns quarteirões. Eu atravessava a rua, ele atravessava também. Ele chegou a correr para me alcançar. Por segurança, entrei numa mercearia e pedi qualquer coisa. Esperei um pouco. Quando saí, lá estava ele me aguardando na calçada. Caminhei um pouco e desisti de tentar despistá-lo. Optei pela abordagem direta para tentar esclarecer o assunto:

- Pois não...
- Prefeitura?
- Não, sou fotógrafo. Estou registrando os grafites.
- Fotógrafo? Grafites? Hummm...
- Claro, pode ver aqui.
- OK.

De volta ao meu caminho (olhando para trás de vez em quando para ter certeza de que eu prosseguia sozinho), pude finalmente refletir: não sei quais são os mistérios que esse prédio abriga, mas não devem ser poucos ou pouco importantes. O endereço, para quem quiser ir lá conferir: centro da cidade de São Paulo, ao lado do Fórum João Mendes, próximo da rua da Glória. Depois me conta, ok?

Nenhum comentário: