segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Ele é o máximo!











Faz muitos anos, mas muitos mesmo, desde que eu comprei o meu primeiro LP dele. Acho que foi por indicação do Robson, que sempre tinha dicas boas para me dar, desde aquela época. O disco tinha um retrato dele na capa, usando um paletó verde sobre um fundo também verde ("Eu e o Tempo", Copacabana, 1977) e trazia músicas e coletâneas que já eram ou se tornariam clássicos rapidamente ("Feche este porta", "Sonhar contigo", "O relógio" e "Tão somente uma vez", entre outras).

Eu logo fiquei encantado com o estilo, o repertório e a originalidade dele. Virei fã de carteirinha instantaneamente, e mantenho essa condição desde então. De lá para cá ele virou assíduo das minhas festas e estava em todas as minhas seleções de músicas preferidas.

Pois hoje, depois de todos esses anos, eu tive a chance de assitir, pela primeira vez, a um show ao vivo dele. Foi na orla de Petrolina, como parte das comemorações do 5º Festival da Primavera.

Quase me faltam palavras para descrever o show. Creio que, dessa vez, as fotos poderão contar melhor a história. Ele é simplesmente sensacional e a emoção de assisti-lo ao vivo foi muito forte. Para começar, aquele repertório que é ao mesmo tempo clássico e atual, que balança com jovens e adultos da mesma forma. Além dos seus grandes sucessos, ele também cantou Lulu Santos, Roberto Carlos, Altermar Dutra e vários outros.

Não bastasse isso, em cima do palco o Adilson é pura energia e alegria, nunca vi coisa igual. Cantou e pulou como um adolescente durante uma hora e meia. Fez caras e bocas, arrebatou a platéia e colocou toda a sua paixão nos seus gestos e na sua voz. Ele é, mesmo, um eterno apaixonado.

E, para completar, ele foi acompanhado por banda extremamente competente, que soube mesclar arranjos clássicos com outros mais modernos, com grande segurança e brilho, o que garantiu o excelente resultado final da apresentação.

Fotografei o show inteiro com um sorriso que ia de uma orelha até a outra, muitas vezes arrepiado mesmo. Eu me senti transportado para uma das minhas antigas festas, e também para os momentos da minha vida que foram definitivamente marcados por esse artista tão especial.

Num certo momento do show ele agradeceu aos presentes por terem deixado que ele fizesse parte da história das suas vidas. Pois sou eu que agradeço, Adilson. Ter uma história de vida pontuada por artistas como você é uma alegria e um privilégio. Torço para que você tenha uma vida longa e sempre com muita energia. Você é o má-xi-mo!!

3 comentários:

Robson disse...

Aí Marcão, que festa hein, Adilson realmente é o má-xi-mo, pelo seu comentário deu vontade de ter assistido ao show.

Robson

Marcus disse...

Pois é, Robson. Voltei para casa às duas da manhã, de alma lavada, enxaguada, passada e engomada. Quando tiver oportunidade, não deixe de conferir.
Abraço!

Carmem Masutti disse...

Mais uma fã de Adilson...

Não tenho como descrever a agradável surpresa que tive ao ouvir, de repente, Adilson na casa de um grande amigo...

Ganhei a noite, que já era maravilhosa pela companhia calorosa de queridos amigos, pela alta gastronomia e pelos espumantes e vinhos...