domingo, 21 de setembro de 2008

Perereca prá frente

Cidade ensandecida recria o Inferno de Dante na beira do rio São Francisco.

Desde às oito horas da manhã deste domingo Petrolina está tomada por uma febre festeira que continua com força total no final da tarde e, pelo visto, só vai acabar na manhã de segunda-feira.

Pela manhã, os festejos em comemoração aos 113 anos da cidade serviram de aquecimento para essa trupe que parece ter fôlego infinito (e que exige dos moradores dos arredores uma paciência igualmente inesgotável).

Por volta da hora do almoço, os simpatizantes dos dois principais candidatos à prefeitura da cidade disputavam quem conseguia atingir o maior número de decibéis na região. Tive a impressão de que todos os carros de som do estado vieram para Petrolina hoje, a fim de participar dessa singela demonstração de carinho e respeito para com a cidade e os seus moradores.

Além deles (que geram grandes deslocamentos de ar e emitem grunhidos absolutamente ininteligíveis), montes de cavalos, vaqueiros e carroças puxadas por burros serviam, também, para mostrar que a força das candidaturas não vem apenas do centro "desenvolvido", mas também do campo e dos seus humildes habitantes.

Na orla, agora no final da tarde, trios elétricos gigantescos estão reunindo pessoas que chegam às centenas, de todas as partes, para sacudir as suas partes íntimas no asfalto ao som do hit "Perereca prá frente, perereca prá trás". Aqui eles chamam isso de "puxada", uma espécie de canaval fora de época, que se repete várias vezes ao longo do ano. Tanto do lado de cá como do lado de lá do rio, o ambiente ideal para o encontro das pererecas do sertão.

Vai ter "puxada" hoje? Ótimo! Então é dia de encher a cara, ligar todos os alto-falantes no último volume, atrapalhar bastante o sossêgo dos outros, sacudir o esqueleto até não aguentar mais e depois voltar prá casa feliz, certo de que Petrolina é mesmo o lugar mais animado do mundo para se morar. Um verdadeiro centro cultural e de lazer.

Aniversário da cidade, campanha eleitoral e "puxada", tudo isso num mesmo dia. Como nem tudo é perfeito, toda essa festança caiu num domingo este ano. Ano que vem, se Deus quiser, a população será abençoada com o repeteco desse magnífico evento num dia semana, e assim terá condições de desfrutar, com mais vontade, de tanta alegria e vontade de viver.

Um comentário:

Anônimo disse...

Marcus, hoje realmente foi um dia em que o humor de todos nós - não petrolinenses, não sertanejos, não nordestinos, não forrozeiros, não pagodeiros, não axezeiros etc. - realmente chegou no limite. Mas se console comigo. Além de tudo o que você contou, ainda tive de acordar 7 da manhã, participar de hasteamento da bandeira, assistir ao desfile de escolas e bandas e ver a população se estapear para comer um pedaço de um bolo de uns 3 metros de comprimento distribuído embaixo da Prefeitura - e isso depois do parabéns pra vc e de o prefeito ter cortado o tal bolo, com o glacê branco empoeirado por ter passado a manhã à espera de momento tão solene. O que a gente não faz para ganhar dinheiro....