quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Médico em Juazeiro

Depois de ter passado por todas as estrelas da otorrinolaringologia em São Paulo, de ter feito uma cirurgia no ano passado, e de não ter ainda conseguido uma solução satisfatória para o meu problema, eu resolvi mudar de estratégia e procurar um médico em Jualina. Se as estrelas não resolveram, quem saberia se algum ilustre desconhecido do interior não me traria a solução definitiva? Não custava nada tentar.

Pois foi o que eu fiz. Entrei num hospital qualquer e perguntei o nome de um médico qualquer. Me indicaram dois ou três e eu acabei achando que a Dra. Karine tinha um bom perfil. Tudo isso foi em abril. Depois eu perdi o rastro dela e só fui conseguir localizá-la no início dessa semana. Não sabia por que, mas achava que tinha que ser com ela.

Pois hoje eu estive lá. Ainda não sei se ela vai conseguir resolver. Mas pelo menos eu já consegui dar alguns passos que em São Paulo eu não estava conseguindo de jeito nenhum. Apesar dos meus exames dizerem que eu não tenho nada, a minha sensação é de que tem alguma coisa errada. Em São Paulo e Recife as estrelas sempre me disseram que eu não tinha nada e que fosse aproveitar a vida. "E não me apareça mais aqui", era só o que faltavam me falar.

Mas a Dra. Karine e o pai dela, o Dr. Juvêncio, fizeram uma verdadeira junta médica e me receberam durante uma hora e meia no consultório deles. O resultado é que eles me ouviram e não me descartaram por causa dos meus exames bem-sucedidos. Mais que isso, eles acham que talvez eu tenha mesmo ainda algum problema, me anteciparam o possível nome desse problema e também já me encaminharam para uma possível solução.

Adorei. Podem anotar essa aí na (ainda muito pequena, minúscula, desprezível, ínfima) coluna das boas surpresas que Jualina está me proporcionando.

Nenhum comentário: