domingo, 22 de junho de 2008

São Feriadão

Programa de feriadão: cuidar do Francisco (o gato do meu colega) de dia, matar mosquitos em casa de noite, assitir filmes na TV (vi um do Frtiz Lang ontem e outro da Bette Davis hoje), fazer ginástica na varanda enquanto ouço a missa da igreja ao lado, e escrever mais para o livro. Eu, que já tinha dado esse livro por encerrado quando cheguei aqui, não paro de ficar tendo novas idéias e de ficar escrevendo coisas novas e revendo coisas antigas. Tempo livre faz essas coisas com a gente...

Ontem resolvi dar uma passada lá no "Pátio do Forró", o local onde acontece a comemoração oficial do São João na cidade. Fiquei 10 minutos e fui embora. Tempo suficiente para ver que de São João só há o nome. Da comida que é vendida (churrasquinho de gato e mais nada. Pé de moleque, milho verde, essas coisas? Nem sonhar...) à música que é tocada (da pior espécie possível, anos-luz de distância daquela que associamos às festas juninas...), não há nem vestígio do São João que a gente aprendeu a reconhecer. A mediocridade grassa.

Amanhã eu vou conhecer uma ilha do rio que fica nas redondezas, com dois professores colegas meus. Dizem que é legal etc e tal. A "praia" da região. Depois eu conto.

Segunda e terça, naturalmente, são feriados por aqui. A festança vai até o domingo da semana que vem, com shows todas as noites. E na outra semana, para quem não acredita, tem mais um feriado: independência da Bahia. Outra oportunidade para eu continuar diminuindo a população de mosquitos da cidade. Ou para escrever uma nova seção para o livro que nem existe ainda.

Um comentário:

Lésio Quincas Munácio disse...

Aceito doações de tempo livre.


Hahahaha!
Bom feriadão, Papu!
Coisa pra fazer não falta, hehe.