quinta-feira, 19 de junho de 2008

Arraiá do mosquito

Não sei como eu ainda não peguei dengue. Todas as noites eu sou mordido inúmeras vezes. A última coisa que eu me lembro todas as noites, antes de pegar no sono, é estar me coçando nos pés e nas mãos por causa de alguma picada. Nem o ventilador virado prá cama ou aquele aparelhinho que a gente põe na tomada estão resolvendo a parada.

A cidade não tem saneamento básico. Pessoas próximas contraem dengue. Terrenos baldios existem em toda esquina e não faltam poças de água para alimentar os bichanos. Até na margem do rio existe muita água parada.

Hoje a festa vai ser grande. É inauguração do São João "oficial" da cidade. A "música" (sim, eles chamam isso de música) já está num volume insuportável lá fora - e aqui dentro também, abafando o som da TV. E podem ter certeza: essa "música" não tem nada a ver, absolutamente nada, com o tipo de música que se costuma associar tradicionalmente ao São João.

Vai ser uma longa noite, com muita mordida de mosquitos e "música" alta até de madrugada. Eu sigo em frente, pagando os pecados passados e zerando as minhas dívidas com os "homens" lá de cima...

2 comentários:

Anônimo disse...

Contra os mosquitos só há uma solução: mosquiteiro! E com um detalhe: eles têm que ter furos relativamente pequenos senão o danado do mosquito entra mesmo. Isso eu comprovei na prática. Não hesite, mosquiteiro neles e terás uma noite tranquila. Abs, Romano.

rogerio martins disse...

obs: o inseto que tanto te incomoda ñ deve ser o aedes transmissor de dengue (que só pica durante o dia)e sim as conhecidas murissocas, também chamados pernilongos.